A VULNERABILIDADE DOS PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM FRENTE AOS RISCOS BIOLÓGICOS: UM ESTUDO EM SALA DE EMERGÊNCIA

Michelle Queiroz dos Santos, Jandra Cibele Rodrigues de Abrantes Pereira Leite

Resumo


O ambiente hospitalar tem sido considerado insalubre e oferece riscos de acidentes e doenças, principalmente, para os trabalhadores de Enfermagem que estão expostos a vários riscos ocupacionais, entre eles, o risco biológico. O objetivo geral do estudo foi identificar a vulnerabilidade dos profissionais de Enfermagem frente aos riscos biológicos e a relevância do risco de adquirir patologias como HIV/AIDS, Hepatite B e C. Trata-se de um estudo descritivo exploratório com abordagem quantitativa, realizado de setembro a novembro de 2016 na Sala de Emergência (SE) do HJPII. Nesse período, foram acompanhados cinco enfermeiros e vinte e três técnicos de enfermagem totalizando 28 profissionais. A coleta de dados se deu através de observação sistemática e aplicação de um questionário, com perguntas fechadas e abertas, divididas em duas partes: Dados de identificação e Riscos Ocupacionais. Os dados sociodemográficos evidenciam que a equipe de enfermagem é predominantemente feminina e possuem mais de um vínculo empregatício. Os dados relacionados aos riscos ocupacionais evidenciam o ambiente estressante e sobrecarga de trabalho como principais fatores de risco psicossocial. Quanto aos riscos biológicos, 100% dos profissionais admitiram exposição à infeções e doenças, bem como 92,9% assumiram estar expostos a sangue, fluídos e secreções. Os resultados relacionados aos riscos físicos revelam que o item com maior porcentagem foi o estresse onde 100% dos profissionais revelaram ter no ambiente de trabalho. A frequência do uso de EPI apresenta resultado contraditório com a observação realizada em campo, tendo em vista que os profissionais referem utilizá-los frequentemente e a observa mostrou que a utilização de EPI nem sempre acontece nas situações de exposição. Observa-se notoriamente que as dificuldades de aceitação e cumprimento de medidas preventivas são fatores existentes e, por isso, preocupantes, evidenciando assim a necessidade de reavaliar as atividades de educação permanente no cenário do estudo, com a proposta de abordagens que permitam a construção de um conhecimento capaz de modificar a prática desses profissionais mediante a observância dos fatores que interferem na adesão ao equipamento de proteção individual.

Palavras-chave


Riscos biológicos. Exposição ocupacional. Enfermagem

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.22614/resc-v7-n2-963



Direitos autorais 2018 Saber Científico

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

ISSN: 1982-792X