Qualidade de vida e risco de desenvolver diabetes em idosos hipertensos institucionalizados e não institucionalizados do interior do estado de São Paulo

Andrea Mendes Figueiredo, Rafael José Damasceno, Patricia Mattar Damiance, Magali de Lourdes Caldana, Jose Roberto de Magalhães Bastos

Resumo


O crescente envelhecimento populacional nos países em desenvolvimento nos conduz a paradigmas sobre envelhecimento saudável e à crescente demanda pelo cuidado de idosos em Instituições de Longa Permanência. Fatores como idade, dislipidemias, sedentarismo, obesidade, hipertensão e diabetes são relevantes para a qualidade de vida dessa população. O objetivo deste trabalho foi comparar a qualidade de vida e o risco de desenvolver diabetes em idosos hipertensos institucionalizados e não institucionalizados, em um município do interior do estado de São Paulo. Trata-se de um estudo descritivo e observacional cuja amostra foi constituída por 12 idosos institucionalizados e 35 idosos não institucionalizados, que participaram de uma atividade de ensino, pesquisa e extensão, no município. Os questionários MINICHAL e RISCO DE TER DIABETES, assim como o Índice de Massa Corpórea foram os instrumentos utilizados para a coleta de dados. A análise estatística foi realizada pela aplicação do teste t-Student, considerando-se o valor de p < 0,05 como estatisticamente significante. Os resultados mostraram que todas as idosas institucionalizadas estavam nas faixas de pré-obesidade e obesidade, o que acarretou um maior risco de desenvolver diabetes; a maioria dos idosos não institucionalizados apresentou índice de massa corpórea normal. Os resultados ainda revelam pior estado mental, somático e da qualidade de vida dos idosos institucionalizados de ambos os gêneros. Nota-se a necessidade de implementação de programas de atividades físicas e incentivo de hábitos alimentares saudáveis nas Instituições de Longa Permanência, a fim de prevenir doenças crônicas e seu agravamento, promover saúde mental, psicossocial e qualidade de vida.

Palavras-chave


Idosos. Diabetes. Qualidade de vida. São Paulo

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.22614/resc-v6-n1-640



Direitos autorais 2017 SABER CIENTÍFICO



ISSN: 1982-792X