Estado nutricional e condições socioeconômicas de gestantes atendidas em uma unidade de saúde da família

Kethellen de Paula Santos Alves, Luna Mares L. de Oliveira, Anaíta Gomes Andrade Pedersoli, Geysa Maria Malaquias N. Lemke

Resumo


O ganho de peso na gravidez está associado com a saúde materna e fetal. O objetivo foi identificar o estado nutricional associado à situação socioeconômica de gestantes. Pesquisa inserida no estudo maior denominado “Prevalência de anemia e padrões de consumo de alimentos ricos em ácido fólico e ferro entre gestantes em uma Unidade de Saúde Família Porto Velho - RO”, aprovado sob o número 405.924/ Nov.2013 pelo Comitê de ética da faculdade São Lucas. Foram avaliadas 48 gravidas entre 19 e 40 anos, na 12ª semana gestacional. Avaliou-se peso e altura pré-gravídico e gravídico, para análise do IMC (peso/altura2), além da escolaridade, estado civil e idade. Para estabelecer classe econômica e escolaridade foram aplicados critérios da Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa (2013). Houve diferença significante no índice de massa corpórea (IMC) pré-gravídico (p-valor: <0,001), com 10,4% de magreza (somados graus I, II e III) e 21% de obesidade (somados os graus I e III; nenhuma em grau II). Quanto ao IMC gravídico, 22% estavam com sobrepeso, 25% obesidade e 20,8% baixo peso, sem diferença significativa. As gestantes ocuparam as classes econômicas, B2, C1 e C2, com predomínio na classe C1 e nível de escolaridade ensino médio completo, apesar da expressiva parcela em nível fundamental. Não houve diferença estatisticamente significante entre a variável IMC e classe econômica, IMC e escolaridade (p-valor: 0,245 e 0,496). Os resultados reforçam a necessidade de orientação nutricional durante o pré-natal.

Palavras-chave


Estado nutricional; Gestantes; Fatores socioeconômicos

Texto completo:

PDF




Direitos autorais 2016 SABER CIENTÍFICO



ISSN: 1982-792X