ESTUDO COMPARATIVO DO CONSUMO SEMANAL DE ALIMENTOS FONTES DE FIBRAS EM DOIS BAIRROS DE PORTO VELHO – RO

Auriane Saldanha Dugué de Abreu, Gabriella Costa de Souza, Jânia Maria Augusta da Silva, Angélica De Tudela, Annie Karolyne Fernandes Freire, Marcela Beleza Pereira, Rosangela Maria Barbosa Gazola

Resumo


Este estudo objetivou verificar a ingestão de fibras por moradores de dois bairros da cidade de Porto Velho: São Cristóvão (região central) e Esperança da Comunidade (região periférica). A pesquisa foi realizada em residências escolhidas aleatoriamente, onde o material utilizado para coleta de dados foi um questionário com perguntas fechadas, tendo como sujeitos da pesquisa 200 indivíduos maiores de 18 anos em cada bairro, de ambos os sexos. O bairro São Cristóvão apresentou uma renda mais elevada e maior grau de escolaridade. O veículo de comunicação mais acessível aos indivíduos que ouviram falar de fibras, foi a televisão. Os resultados demonstraram um elevado consumo de alimentos fontes de fibras em ambos os bairros e o motivo relatado por aqueles que não consumiam foi o sabor ruim. O feijão foi a principal fonte de fibra alimentar, sendo consumido em 97,5% no bairro Esperança da Comunidade e 93,5% no bairro São Cristóvão. O estudo mostrou que a renda familiar não foi fator determinante na aquisição de alimentos ricos em fibras, pois se verificou o consumo destes por todas as classes econômicas estudadas. A inclusão de fibras na alimentação faz-se importante para a prevenção de doenças crônico-degenerativas, como o diabetes, dislipidemias, entre outros, possibilitando dessa forma melhor qualidade de vida.


Texto completo:

PDF




Direitos autorais



ISSN: 1982-792X