TURISMO NA ETNIA PARINTINTIN: UMA ANÁLISE COMPARATÓRIA DAS EXPECTATIVAS, COMPREENSÕES E POTENCIALIDADES DAS TERRAS INDÍGENAS IPIXUNA E NOVE DE JANEIRO, HUMAITÁ, AMAZONAS, BRASIL

Ederson Lauri Leandro, Marco Antônio Domingues Teixeira

Resumo


As Terras Indígenas Ipixuna e Nove de Janeiro localizam-se no município de Humaitá, Amazonas, na margem direita do Rio Madeira, declarada de posse permanente da etnia Parintintin em 1992. Este estudo foi inserido dentro do Diagnóstico Etnoambiental Participativo de TI (no prelo), realizado pela Associação de Defesa Etnoambiental Kanindé com apoio do Consórcio Amazoniar em parceria com a comunidade indígena. Este teve como objetivo uma análise comparatória das expectativas, compreensões e potencialidades das terras indígenas, visto que o reconhecimento da comunidade receptora subsidia o planejamento, orientando assim as fases de implementação e monitoramento da atividade turística. Os dados foram coletados nos meses de julho e outubro de 2006, com a utilização de questionários de linguagem simples e direta, entrevista informal, registros fotográficos e plotagem de pontos em GPS (Global System Position). Os entrevistados tinham faixa etária entre 18 e 50 anos de ambos os sexos (F=25 e M=31), obtendo resultados que demonstram a crescente intenção das comunidades indígenas em inserir-se no mercado turístico impulsionadas principalmente pela possibilidade de se reordenarem economicamente. Observa-se também o baixo entendimento dessas comunidades no que se refere aos impactos negativos da atividade que somado ao assédio e oportunismo de empresas turísticas, têm merecido atenção importante nos últimos anos, uma vez que a falta de planejamento e ilegalidade da atividade pode comprometer significativamente o meio ambiente e a cultura dessas comunidades.


Texto completo:

PDF




Direitos autorais



ISSN: 1982-792X