TUBERCULOSE E NEUROTOXOPLASMOSE EM PACIENTES HIV/AIDS ATENDIDOS NO MUNICÍPIO DE PORTO VELHO – RO

Robson Rodrigues Bucarth, Laís de Souza Miranda, Najla Benevides Matos, Flavia Serrano Batista

Resumo


Este trabalho tem como objetivo caracterizar os casos de tuberculose e neurotoxoplasmose nos pacientes HIV/Aids atendidos no município de Porto Velho – RO. As análises foram realizadas entre os anos de 2014 a 2018 no SAE do município e no hospital CEMETRON, no total foram realizadas 201 análises. Desses, 17% (34/201) tinham diagnóstico positivo para tuberculose e 11% (21/201) tinham diagnóstico para neurotoxoplasmose. A correlação clínica mostrou que 38% dos pacientes com tuberculose tinham célula TCD4+ entre 50 e 200 células/mm3, dos que tiveram neurotoxoplasmose, 71,5% tinham células TCD4+ < 50 células/mm3. Entre os anos de 2014 a 2018 muitos pacientes foram à óbito, 35% tinham diagnóstico para tuberculose e 24 % tinham diagnóstico para neurotoxoplasmose. Cerca de 40% dos pacientes não faziam uso da terapia antirretroviral e 44% dos pacientes faziam uso irregular. As coinfecções apresentadas nesse estudo, podem ser evitadas com a regularidade do tratamento antirretroviral que é gratuito no Brasil, necessitando de maior atenção da saúde pública e o desenvolvimento de um programa de maior conscientização ao tratamento para os portadores do vírus HIV.

Palavras-chave


HIV/Aids. Coinfecçoes. Tuberculose. Neurotoxoplasmose.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22614/resc-v8-n1-1055



Direitos autorais 2019 Saber Científico

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

ISSN: 1982-792X